sábado, 10 de agosto de 2013

ESTÓRIAS HERDADAS - 3

A VITELA
Sempre ouvi dizer que o meu avô materno, António, tinha "algum" mau humor. São muitas as histórias sobre ele, e sobre as suas monumentais fúrias, que circulam na família e, até, entre aqueles que foram seus alunos. Dos mil episódios hilariantes que conheço, há um que destaco:
"Havia, em casa dos meus avós, uma empregada eterna. Daquelas empregadas que começavam a trabalhar, dizia-se a servir, pelos dez anos e ficavam, até casarem, ou até morrerem, nas famílias que as contratavam. A Docelina era uma dessas. Fora para casa dos meus avós com uma tia, de início só para fazer "recados", e tornara-se uma peça fundamental na organização familiar. Era ela quem fazia as compras, ainda à porta, seguindo o rol que a minha avó, semanalmente e com verdadeiro espírito de economista (faria inveja a muitos Gaspares), elaborava para ela. 
Ora, um dia, dia de visitas, a minha avó deu ordem para que se comprasse uma peça de vitela. À hora do almoço, com os convidados à mesa, contou que tinha dito à Docelina para comprar um lombo de vitela maravilhoso! Falou antes do tempo... Servida a refeição, a carne revelou-se dura e fibrosa, difícil de mastigar e de engolir! O meu avô, não sei se mais irritado por causa das visitas se por causa de se sentir enganado, chamou a empregada à sala: - Ó mulher, tu não compraste vitela!- e ela, segura, garantia: - Comprei sim, senhor doutor! Ai isso é que eu comprei! - E o meu avô, com o bigode a tremer (imagino eu) insistia: - Não compraste nada! Isto é vaca! - E a Docelina, ofendida no seu orgulho de eficaz serviçal, garantiu: - Ai não é não, senhor doutor! Podia ser vitela velha, mas era vitela de certeza!!"
Ainda hoje, em casa dos meus pais, quando a carne sai rija, se ouve a piada "Deve ser vitela velha..."


5 comentários:

  1. A minha mãe, com a sua bonomia e o seu espírito optimista, apesar da sua provecta idade, costuma dizer, quando se esquece de alguma coisa, ou os reumatismos atacam com mais força, que o problema é da sua "velhice precoce"... quase como uma analogia a essa da "vitela velha".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabedoria, essa da velhice precoce!

      Luísa

      Eliminar
  2. Luisa, também na casa da minha mãe nós tivemos a doce Elvira. Veio como parte do enxoval da minha mãe já que era criada da minha avó e já a tinha ajudado a criar. Depois ajudou a criar a mim, à minha irmã e aos meus dois irmãos! Um ataque cardíaco levou-a numa gelada noite de um 8 de Janeiro, tinha eu então 14 anos. Já lá vão mais de 50 e rara é a vez que nesse dia a não recordo com saudade! http://noareeiroeporai.blogs.sapo.pt/2013/01/08/

    ResponderEliminar
  3. Dalma, Há pessoas que entram na alma da gente e lá ficam, para sempre. Outras, só nos tocam de raspão...
    Luísa

    ResponderEliminar
  4. Quantas vezes, todos nós comemos, por aí por "fora", vitela com "velhice precoce".
    A Docelina teria razão muitas vezes...

    ResponderEliminar