quinta-feira, 4 de julho de 2013

METAS SEM GLÓRIA

Habituada a desafios e ordens por vezes bizarras, não estranhei que me mandassem ir para a velha Faculdade de Letras (onde até fui feliz!) para frequentar uma acção de formação sobre Metas Curriculares para o Ensino Básico - Português. As expectativas não eram muitas, confesso, e a ideia de sair de casa às seis da manhã, num dia de calor , não ajudava... Mas gosto sempre de novidades, ainda que relativas..., e não tendo ainda percebido muito bem a pertinência das mesmas, lá despachei de véspera a entrega dos exames de 12º para me fazer ao caminho. Cheguei a horas, como sempre acho que deve acontecer, procurei a sala 10.14, e sentei-me à espera de um dia de pensares. se as minhas expectativas eram poucas, a desilusão foi enorme! Logo de início, e contrariamente ao razoável, a formadora anunciou que tinha 40 diapositivos, que mais não eram do que documentos em PDF, para apresentar. Fê-lo. Perante uma assistência descrente, passiva, e cada vez mais desinteressada, lá fez a sua apresentação. Fiquei a saber que adora Jorge de Sena. Depois do café, um pouco mais retemperada, voltei à sala. Mudara a formadora, aumentara o calor, o suor escorria-me pelas costas, o ecrã  não se lia porque o sol incidia nele, mas o discurso animou-se um pouco. A formadora, professora também, parecia mais próxima da realidade, mais viva e mais dinâmica. Acho (?) que abordou a leitura (já nem me lembro bem, tal foi o impacto...), e, sem tempo para a prática, acelerou até às 13,30h. Almocei com colegas, conversas com sentido, partilha de angústias temperadas com bacalhau à minhota muito saboroso.
A tarde iniciou-se com uma outra formadora e com uma lição de gramática para os meninos do 3º ciclo... Aprendi que o sujeito e o agente não são obrigatoriamente coincidentes, que os pronomes pessoais mudam de posição de acordo com o tipo de frase, coisas que a formadora entendeu que nós, professores de português há 30 anos!, desconhecíamos  Um muro de pedra cresceu entre mim e a sessão! O cansaço deu as mãos ao desespero.
Não resisti até ao final e às 17,00h vim embora. Vim desiludida, frustrada, sentindo-me gozada! 
Alguém está a gozar comigo, com o meu tempo, com os professores, com o ensino! O que são, afinal, as Metas Curriculares? Uma síntese do programa, com mínimos mesmo mínimos, para que as criancinhas sejam preparadas para os exames. A grande Meta da Educação mudou de facto e já não é desenvolver competências, formar pessoas. É, apenas, treinar para exames! Brilhante país o meu!

4 comentários:

  1. É assim que este Governo gasta o dinheiro que não tem. Que desilusão foi o Ministro Nuno Crato!

    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas. Eu acreditava tanto nele...

      Luísa

      Eliminar
  2. Ó Luísa, compreendo a tua desilusão! Penso que não há respeito pelo trabalho de ninguém e, menos ainda, dos professores...
    Desliga, se puderes, e pensa nos teus alunos do ano que vem e nas amizades que ficaram deste ano lectivo!
    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela força e carinho das suas palavras. Vamos ver como será para o ano. A minha esperança de melhorias é pouca...
      Beijinhos e muitas saudades
      Luísa

      Eliminar