sexta-feira, 5 de julho de 2013

O MEXILHÃO

Perguntaram-me, num tom provocatório e, ainda assim, simpático, o que aconteceu à minha veia política, insinuando que estou calada porque, desta vez, o "culpado" é o "meu" CDS. Ri-me, garanti - o que é verdade! - que já não acredito nos políticos que, no mundo, agora pretendem liderar, mas fiquei a moer na provocação.
Que me desculpem os meus amigos do PS, e tenho muitos, mas penso que, neste momento, eleições antecipadas seria a maior das asneiras. Isto, garanto, tentando ignorar o facto de que eu não acredito no socialismo, acho ridículo o Tó Zé, e não sou capaz de concordar com os princípios que o PS enuncia. Continuo, desculpem!, a acreditar que o caminho se faz apoiando as pessoas individualmente, apostando na liberdade de cada um, na diferença que caracteriza a Humanidade, valorizando a iniciativa privada, preservando Valores, com um Estado não castrador nem explorador do trabalhador. Posto isto, e olhando a crise, cabe esclarecer que, com alguma mágoa, já não sou militante do CDS porque o dr. Paulo Portas se zangou também comigo. (Sorte a minha, talvez...)
Conheço razoavelmente bem o presidente do PP e continuo a vê-lo como um homem inteligente, culto, educado e de princípios. Como um enorme egocentrista, também... Não dá ponto sem nó, sabe o que faz!
A crise, mais uma, que agora vivemos, pode ser uma mola para a mudança. Creio que Portas não conseguia mais impôr o seu/do CDS pensamento e, desta forma, mostrou a Passos Coelho que o caminho que insiste percorrer não nos levará a bom porto. À distância, sabendo apenas o que a Comunicação Social e os comentadores vão dizendo, penso que chocaram duas personalidades fortes e que, porque estes dirigentes são escandalosamente jovens, resolveram fazer birra.
De longe, vivendo uma desilusão intensa e dolorosa, sob um calor horrível e desmoralizador (também o clima!), penso que, como dizem os pescadores (ah! como eu queria estar agora junto ao mar!) quando a água bate na rocha, quem se lixa é o mexilhão... Portugal, país de mar, faz-se de mexilhões que, com tanta pancada violenta, até já as cascas têm partidas! Um dia o naufrágio será definitivo.

6 comentários:

  1. Discordo COMPLETAMENTE! Tem de haver eleições e o PS há-de ganhar. Só concordo, hoje, num ponto: O Tó Zé não vale nada...

    Fernando

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Fernando,
      Para que serviria a democracia se não pudéssemos discordar?!
      Obrigada pelas suas palavras!
      Luísa

      Eliminar
  2. Com este calor, até dos mexilhões tenho inveja...

    Ana

    ResponderEliminar
  3. Eu concordo consigo. Apesar de muitos erros, não acredito que o PS governasse melhor!

    Isabel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Isabel, por ir passando por aqui.

      Luísa

      Eliminar