sexta-feira, 21 de junho de 2013

48

Tenho 48 provas de exame de português de 12º ano para corrigir. Nem mais, nem menos. 48! Considerando que demoro cerca de quarenta minutos a corrigir uma prova, esperam-me, se a máquina de calcular não errou a conta, 1920 minutos de trabalho numa época do ano em que o cansaço é já muito e cabeça e corpo pedem férias. Ninguém me vai pagar este trabalho, faz parte da minha função de professora e, por isso, devo acumulá-lo com vigilâncias de exames, relatórios finais, matrículas de alunos, formação de professores, conclusão da avaliação de colegas, organização do ano lectivo 2013/14 e reuniões de Conselho Geral. Ao mesmo tempo, continuo viva (acho) e por isso gostaria de concluir as minhas leituras, de caminhar na minha serra, de poder refrescar-me na piscina. Gostava, enfim, que houvesse vida para além do trabalho... Os professores, os de verdade, trabalham muito mais do que 40 horas e talvez - TALVEZ - uma avaliação rigorosa que de facto beneficiasse os que trabalham, pudesse resolver a questão das greves.

8 comentários:

  1. Também acho que devia haver avaliação a sério, mas acho que isso daria mais greves...

    Lena

    ResponderEliminar
  2. Bolas, 48 são muitas... Bom trabalho e paciência!

    Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paciência, cansaço e vontade de desaparecer...

      Eliminar
  3. Devia era deixar a escola e dedicar-se à escrita!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é que era bom. Mas não me sai o Euromilhões (nem jogo...)

      Eliminar
  4. Não há palavras... só quem sabe! Coragem! És uma lutadora! (explorada, mal apreciada & etc, mas sempre corajosa!)
    beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Mª. João,
      Boas férias... Gosto imenso do espaço onde agora descansa, do café no Marquês, do mar forte, do branco das ruas.
      Beijinhos

      Eliminar