domingo, 2 de fevereiro de 2014

Bluff...

Embora tente não ouvir notícias (sei que é indecente, mas já não tenho resistência...), tenho ouvido, sobretudo em conversas de amigos, muitos elogios ao Presidente da Câmara de Lisboa, António Costa. Até a socialistas militantes, e convictos, tenho ouvido defender que ele seria o leader ideal para o PS, a figura perfeita para primeiro ministro de Portugal ou até, um dia, o ideal Presidente da República portuguesa. Eu, que até simpatizo com este senhor, sorrio e aguardo. 

Há uns dias, mudei de ideias. Mudei de ideias porque, passeando em Lisboa, nessa Lisboa linda de luz única, encontrei o caos! Em pleno Bairro Alto, caminhando para a turística Brasileira do meu/nosso Poeta, defrontei-me com imensas dificuldades de circulação... Eu levava a minha neta, logo um carrinho de bebé, e os buracos, crateras, impediam-me de circular. Ao tentar avançar pelo passeio, esbarrei com caixotes de lixo  que me atiraram para o meio da estrada, assustada e com medo de ser atropelada. Reparei então que Lisboa, a tal Lisboa postal que quer cativar turistas, está degradada, suja, maltratada. Tirando o Terreiro do Paço, onde depois de anos de intermináveis obras se pode agora caminhar, nada foi feito. A avenida da Liberdade, com o novo regulamento do trânsito, está mais caótica do que nunca; os imóveis estão grafitados e sujos, os passeios esventrados, as ruas esburacadas. O que fez este deus a haver? O que fez, de facto, o Dr. António Costa para os portugueses, alguns, terem tanta esperança nele? Eu, sinceramente, não tenho esperança nenhuma. Para mim, este senhor é um bluff!

Olhando os potenciais responsáveis do futuro próximo, apenas Rui Rio me merece, ainda, alguma atenção e confiança.

3 comentários:

  1. Também confio em Rui Rio. Mas não gostei que se tivesse apagado em Espanha...
    António

    ResponderEliminar
  2. Luisa, não é o Bairro Alto também um bluff?

    ResponderEliminar